O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Nunes Marques negou um habeas corpus impetrado pela defesa do ex-prefeito de Itagimirim, na Costa do Descobrimento, Rogério Andrade. Marques manteve as decisões anteriores que haviam determinado a prisão preventiva. A última tinha sido um acórdão do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Andrade é acusado de homicídio qualificado pela morte do então prefeito de Itagimirim Rielson Santos Lima, em 29 de julho de 2014, em um bar do Centro da cidade (lembre aqui). À época, Rogério Andrade era vice de Rielson Santos Lima e se tornou prefeito após o crime.

 

O Ministério Público do Estado (MP-BA) denunciou Andrade, além do irmão dele Sandro Andrade Oliveira e Jamilton Neves Lopes pela participação no homicídio. Conforme o MP-BA, dívidas da campanha política que elegeu a chapa Rielson-Rogério em 2012 e a recusa de Rielson de "desviar recursos" para quitar a cobrança – os credores eram amigos de Andrade – foram o estopim para o rompimento político entre os dois.

 

Outro fato que estremeceu a aliança foi a aprovação do orçamento municipal pela Câmara dos Vereadores, o que fez Rogério romper publicamente com o prefeito, com a exoneração de todos os indicados pelo então vice a cargos públicos na prefeitura.

 

Conforme o promotor de Justiça Helber Luiz Batista, para executar o plano de se tornar prefeito, Rogério Andrade teria simulado uma reconciliação política com o então prefeito e, juntamente com o irmão Sandro Andrade de Oliveira, contratou Jaimilton Neves Lopes para executar o crime. A decisão de Nunes Marques ocorreu na última sexta-feira (18).



Fonte: BahiaNoticias

BAHIA NA NET - NOTÍCIAS
BAHIA NA NET - NOTÍCIAS