“Meu irmão, piorou e muito, Edelvânio, tá muito maior que a de ontem [a altura da água de chuva nas residências]. A água está chegando muito mais rápido, numa velocidade tremenda”. Esta narrativa é do locutor Damião Alves, quando questionado pela reportagem do Água Preta News, na manhã desta quinta-feira (9), sobre a atual situação do munícipio de Jucuruçu.

O rio Jucuruçu, que corta a cidade ao meio, aumentou muito o volume de água e moradores tiveram que abandonar suas casas. Centenas de pessoas estão desalojadas e moradores da zona rural não conseguem sair de suas localidades.

Damião é morador da cidade e a mãe dele, Alzira Florentina Lima, de 79 anos, teve a casa invadida pela enxurrada até telhado. “Só deu tempo pegar os documentos, mas graças a Deus ela está bem”, disse..

Segundo Damião, a comunidade Camilo de Queirós está ilhada e somente uma aeronave poderá resgatar os moradores.

“A água já cercou tudo, tem muitas famílias, muitas pessoas precisando de um helicóptero”, contou. “Tem uma idosa de 93 anos pra ser resgatada, tá todo mundo desesperado nessa comunidade”, completou, reforçando. “A gente precisa de um helicóptero aqui com a maior urgência pra salvar essa família lá nos Camilo de Queirós.”

Um vídeo que a reportagem teve acesso mostra as residências desta comunidade literalmente embaixo d’água. Dezenas de casas já foram encobertas pela água, de acordo com Damião.

“No vídeo não aparece porque a água já cobriu tudo”, explicou.

A enxurrada que invadiu as casas levou mantimentos, destruiu casas e móveis. Na cidade de Itanhém um grupo de pessoas está fazendo uma campanha nas redes sociais para arrecadar alimentos, roupas de cama e colchões que serão levados para Jucuruçu. As doações devem ser entregues no Ginásio de Esportes.

A previsão de chuva para esta quinta=feira em Jucuruçu é de 45 milímetros.


Fonte: jucurucuacontece

Bahia na net
Bahia na net