Marília Mendonça e integrantes de aeronave morreram instantaneamente, diz laudo

quinta-feira, 25 de novembro de 2021

/ Por: ...

A cantora Marília Mendonça e os outros quatro integrantes da aeronave que caiu no interior de Minas Gerais morreram instantaneamente, segundo laudo divulgado pela Polícia Civil de Minas Gerais nesta quinta-feira, 25.

Além da artista, estavam na aeronave também seu tio e assessor Abicieli Silveira, seu produtor, Henrique Ribeiro, além do piloto e copiloto, Geraldo Medeiros e Tarciso Viana.

Todas as vítimas sofreram politraumatismo na queda da aeronave e morreram com o choque com o solo, tendo em vista que bateram as cabeças e os corpos com o impacto.

Segundo o médico-legista Thales Bittencourt de Barcelos, os trabalhos de necropsia foram finalizados. Ele pontuou que indicadores de politraumatismo contuso já haviam sido explanados.

Ele disse, durante coletiva, que as analises das amostras do piloto e do copiloto resultaram negativo para problemas de saúde e presença de substâncias tóxicas ou alcoólicas.

"Por segurança, o médico-legista coletou material para exames complementares que são realizados na capital, no Instituto Médico Legal em Belo Horizonte. Esses exames se prestam a identificar eventuais outras causas que poderiam contribuir de alguma forma com óbito. São exames toxicológicos, alcoólicos e exames anatomopatológicos, que são aqueles realizados em tecidos, como fragmentos de pulmão, de coração, de cérebro", explicou Barcelos.

"É possível afirmar que a morte ocorreu a partir do impacto da aeronave no solo, que levou ao politraumatismo grave de todas as vítimas" afirmou o médico legista Thales Bittencourt.

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos ainda investiga se houve pane nos motores da aeronave e a possibilidade não foi descartada.

A Companhia Energética de Minas Gerais já afirmou, por meio de nota, que a aeronave colidiu em um cabo de energia antes de cair. A defesa da filha do piloto alega, no entanto, que o acidente foi causado pela falta de sinalização adequada em cabos de alta tensão. O caso corre na justiça.


Fonte: Jornal A tarde

Sem comentários

Enviar um comentário

Mais
© EQUIPE DE IMPRENSA
EMPRESA MJM COMUNICAÇÃO E PUBLICIDADES CNPJ: 40.198.174/0001-25.