Acusada de latrocínio em Camacan encontra-se foragida e polícia amplia buscas

sexta-feira, 23 de julho de 2021

/ Por: ...

 

O delegado da Polícia Civil de Canavieiras, Renato Fernandes, enviou nesta quinta-feira (22), para a Vara Crime da Comarca de Canavieiras, o Inquérito Policial que investiga a morte do taxista Alex Cruz Pereira, de Camacan, que foi encontrado morto na cidade de Canavieiras na manhã do dia 15 de dezembro de 2017. 

A polícia comprovou que no dia 14 de dezembro de 2017 o casal Alisson de Souza Vinhas e sua esposa Ina Rocha dos Santos, 21 anos à época do crime, saíram da cidade de Porto Seguro e contrataram em Camacan a corrida até a cidade de Canaveirias onde Ina, possui familiares na zona rural. Também ficou comprovado que o casal já conhecia o taxista e agiram premeditadamente. A intenção era roubar o veículo do taxista executando o mesmo. 

Ao passarem pela zona rural de Canavieiras fizeram o taxista descer do carro e ele foi executado com vários tiros dentro de um matagal. Ocorreu que o caso ganhou repercussão e com filmagens do casal circulando na cidade de Camacan, e essas imagens foram amplamente divulgadas em aplicativos de redes sociais. 

No dia seguinte, o casal abandonou o veículo que havia sido roubado no distrito de Arraial D´Ajuda em Porto Seguro, e seguiu para o povoado de Itabatan, município de Mucuri, na divisa com os estados do ES e MG. 

Na época o casal foi localizado pela polícia e Alysson morreu em confronto e sua esposa chegou a ser presa. Ambos estavam com identidades falsas e vários pertences da vítima, bem como o revolver utilizado no crime, além de entorpecentes. 

Antes de tudo isso, Alysson e Ina já haviam sido presos em Porto Seguro por tráfico de drogas, mas muito rapidamente, foram liberados pela justiça, e ganharam liberdade para continuar cometendo outros crimes e contravenções. 

Em continuidade às investigações a Polícia comprovou que Ina apresentou inúmeras contradições nas declarações prestadas e que não somente tinha pleno conhecimento, como também participado da execução da vítima. 

Após representação da autoridade policial a esposa de Alisson teve sua prisão preventiva decretada e encontra-se foragida. Quem tiver informações que levem ao paradeiro de Ina, deve denunciar através do número 73-99803-9200. 

Sem comentários

Enviar um comentário

Mais
© EQUIPE DE IMPRENSA
EMPRESA MJM COMUNICAÇÃO E PUBLICIDADES CNPJ: 40.198.174/0001-25.