Após tomar a primeira dose da vacina contra a Covid-19, sete servidores da saúde em PSF de Itapebi se contaminaram

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

/ Por: ...

Após a matéria sobre a enfermeira Maria Angélica de Carvalho Sobrinho, primeira pessoa a participar da campanha de imunização contra o coronavírus na Bahia e testou positivo para covid-19 e que começou a apresentar os sintomas três dias antes de tomar a segunda dose, a reportagem  começou a investigar sobre a infecção simultânea de oito servidores do Posto de Saúde da Família (PSF Leonardo Sarquis) em Itapebi, município do extremo sul baiano. Quando sete se contaminaram depois de receber a primeira dose da vacina.

O que a reportagem descobriu é que além da Auxiliar de Serviços Gerais Maria Raimunda Santos Martins Conhecida como “Dinha” de 41 anos, os demais infectados já haviam recebido a primeira dose da vacina, inclusive “Dinha” teve reinfecção do Covid-19 (coronavírus).

O repórter Arnaldo Alves,  conversou com Carine Ribeiro, Técnica de Enfermagem e vacinadora do PSF- Leonardo Sarquis, que juntamente com os outros seis servidores receberam a primeira dose da vacina (Sinovac) no dia 19 de Janeiro de 2021, dia em que  o lote destinado ao município de Itapebi chegou a cidade. Das oito pessoas a única que não recebeu a primeira dose da vacina, foi à servidora Joana, por estar em período de gestação.

Servidores Infectados

Ana Carine - Ribeiro – Técnica de Enfermagem

Manacezes - Agente Comunitário de Saúde.

Rita Cristina - Recepcionista

Ana Cristina - Recepcionista

Joana - Auxiliar de odontologia

Marilânia - Técnica em Enfermagem

Tamyres Porto - Enfermeira

Maria Raimunda “Dinha” - Auxiliar de serviços gerais. (Reinfectada)

Quando Começaram os sintomas

Tamyres - 30 de Janeiro

Ana Cristina – 30 de Janeiro

Marilânia, Dinha e Manacezes  - 01 de Fevereiro

Carine – 03 de Fevereiro

Rita - 04 de Fevereiro

Todos fizeram os testes, sete fizeram o PC-RTC e a única que fez o teste rápido foi a Técnica de Enfermagem, Carine Ribeiro e testou positivo dez dias após estar sentindo os sintomas.

Segunda dose

Conforme informações da coordenadora em Itapebi da VIEP - Vigilância Epidemiológica, enfermeira Ana Clara Santana Sá, a segunda dose do paciente que se contaminou, mesmo após ter recebido a primeira dose da vacina, deverá ser quinze dias após ter recebido alta do isolamento. Todos os servidores já estão de alta do Isolamento - inclusive as duas  que necessitaram de internamento hospitalar e estã cumprindo suas jornadas de trabalho no PSF.

Vacinas

No Brasil estão sendo aplicadas as vacinas CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa em parceria com Instituto Butantan, e a da AstraZeneca, desenvolvida com a Universidade de Oxford. As duas receberam autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para o uso emergencial em 17 de janeiro.

As duas vacinas exigem a imunização com duas doses. A 2ª dose da CoronaVac deve ser aplicada de 14 a 28 dias a partir da 1ª aplicação. A 2ª dose da AstraZeneca deve ser aplicada após 12 semanas da 1ª dose.


Fonte: ItapebiAcontece

Sem comentários

Enviar um comentário

Mais
© EQUIPE DE IMPRENSA
EMPRESA MJM COMUNICAÇÃO E PUBLICIDADES CNPJ: 40.198.174/0001-25.