A ex-prefeita de Porto Seguro, Cláudia Oliveira (PSD), está anunciando uma candidatura que deverá se esbarrar em impedimento legal, por conta de graves complicações com a justiça, que a tornaram alvo de três inquéritos através do Ministério Público Federal (MPF) na Bahia, em casos que se referem ao ano de 2016 e estão ligados a contratos da prefeitura investigados pela “Operação Fraternos”, da Polícia Federal (PF).

Outro fator complicador para as pretensões de candidatura de Cláudia Oliveira e que poderá resultar em 8 anos de inelegibilidade, é a decisão do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM-BA), pela rejeição das suas contas no exercício de 2020. Entre as irregularidades apontadas pelo TCM, está o cancelamento da dívida ativa em mais de 44 milhões de reais, sem apresentação de documentos que o justifiquem.

A ex-prefeita foi afastada por seis meses da Prefeitura de Porto Seguro, por desvios de dinheiro público e irregularidades em licitações. Investigada, processada e condenada a prisão, Cláudia teve que pagar apenas R$ 100 mil para não permanecer presa no Presídio Regional de Teixeira de Freitas.

Com a perspectiva de ter suas contas rejeitadas pela Câmara de Vereadores de Porto Seguro, Cláudia ficará sem possibilidade de conseguir deferimento do registro de candidatura no Tribunal Regional Eleitoral e este fato a impedirá de ser candidata nesta próxima eleição e nas outras duas que se seguirão!

Isto significa que o crime não compensa!


Fonte: Valcabral

BAHIA NA NET - NOTÍCIAS
BAHIA NA NET - NOTÍCIAS