O fiscal ambiental Geomar Jesus de Oliveira, suspeito de envolvimento em esquema de propina para licenças ambientais, foi preso novamente no final da tarde de sexta-feira (11), em Porto Seguro. A prisão foi realizada pela Polícia Civil, num desdobramento da segunda fase da ‘Operação Saneamento’, deflagrada pelo Ministério Público estadual, por meio do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

Solto pela Justiça, na primeira instância, durante audiência de custódia, Geomar Jesus foi preso novamente com base em medida cautelar interposta pelo Gaeco e acatada pelo Tribunal de Justiça do Estado da Bahia. A decisão também autorizou a prisão do fiscal ambiental Igor Carvalho Nunes, que, como Geomar, foi denunciado pelo MP e preso anteriormente, mas ele ainda não foi localizado pela polícia.


Os fiscais ambientais Geomar Jesus Oliveira e Igor Carvalho Nunes foram denunciados pelos crimes de associação criminosa e corrupção passiva. A operação apurou indícios da prática de corrupção por dois ex-secretários municipais e três fiscais ambientais lotados na Secretaria do Meio Ambiente de Porto Seguro.


As investigações revelaram o recebimento de vantagens indevidas para a concessão de licenças ambientais e de implantação para instalação de empreendimentos imobiliários no município. O esquema foi denunciado por empresários do ramo de construção civil, que apresentaram documentos que evidenciam a negociação do valor da propina. Conforme apurações do MP, houve efetivamente o pagamento, com posterior concessão das licenças. Uma das propinas chegou ao valor de R$ 60 mil.



Fonte: Radar64

BAHIA NA NET - NOTÍCIAS
BAHIA NA NET - NOTÍCIAS