Um homem que não aceitava o fim de um relacionamento chamou a Polícia Militar para prendê-lo depois de ameaçar a ex-mulher de morte. O caso aconteceu no bairro Resistência, em Vitória.

O confeiteiro Samuel Santos Souza, de 24 anos, contou que o relacionamento acabou porque ele traiu a mulher três vezes. Antes de ser encaminhado ao presídio, na manhã desta terça (22), ele disse que ficou revoltado porque ela se envolveu com outra pessoa após a separação. Ainda segundo ele, a ex não queria retomar o casamento.

"Mandei várias mensagens dizendo pra ela que se ela não voltasse comigo ia matar ela e o cara que estava com ela. Essa é a realidade. Então, para isso não acontecer eu abri um BO [boletim de ocorrência] contra mim mesmo para proteger a vida dela e a da minha filha também. Fui na residência dela, me alterei, ela se sentiu coagida, passou uma viatura e eu mesmo chamei a viatura pra mim ", disse.

O confeiteiro disse ainda que nunca bateu em nenhuma mulher.

"Tenho consciência que estou errado. Por isso tive essa atitude. Não quero ser mais um que mata mulher. A decisão que eu ia tomar ia ser errada. Eu sei que vou estragar minha vida. Nunca passei por uma situação como essa. Estou aliviado porque aqui [na prisão] consigo deixar ela segura", explicou.

A ex-mulher de Samuel é uma cuidadora de idosos. Ela tem 32 anos e preferiu não se identificar. Ela disse que nunca foi agredida por ele, mas vinha sofrendo ameaças depois da separação.

"Ele era ciumento e possessivo. A gente terminou e ele estava tranquilo, mas depois ele não aceitou o término e começou a me pressionar para voltar. Estava me ameaçando o tempo todo e você via no olhar dele que ele não estava sozinho. Ele nunca encostou um dedo em mim, mas xingava", contou.

O casal ficou junto por quatro anos e tem uma filha de três. O relacionamento acabou há quatro meses. A cuidadora disse que antes de chamar a polícia, Samuel a ameaçou mais uma vez.

"Ele veio trazer ela[filha] porque queria me ver. Falou que queria conversar e se eu não deixasse ele entrar ia pular o muro da minha casa. Passou uma viatura na hora, ele disse que era pra eu chamar a viatura porque ia precisar. Ele parou a viatura e conversou com os policiais", disse.

Lei Maria da Penha

A Polícia Civil informou que as partes foram encaminhadas ao Plantão Especializado de Atendimento à Mulher (PEM) e o confeiteiro foi autuado em flagrante pelo crime de ameaça na forma da Lei Maria da Penha.

Foi arbitrada fiança, que não foi paga, e Samuel foi levado ao Centro de Triagem de Viana. O valor da fiança não foi divulgado.

Segundo a mãe da cuidadora, o ex-genro sempre foi alegre e nunca demonstrou agressividade. Ela acredita que neste momento o ideal é que Samuel fique preso.

"Pelo menos para dar um tempo, para ter uma segurança maior porque se ele sair agora não dá nem tempo da gente ver o que vai fazer".

Por André Falcão, g1 ES e TV Gazeta
BAHIA NA NET - NOTÍCIAS
BAHIA NA NET - NOTÍCIAS